Oss! Junte-se a mais de 2000 karatecas!

Entre para nossa lista de karatecas e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Obrigado pelo envio!

Primeiro, Conter O Espírito Da Agressão!



Primeiro, Conter o espirito da agressão.

Estava assistindo a um jogo de futebol na televisão que foi interrompido por conta de briga entre torcedores.


Isso me fez refletir e vir aqui hoje falar sobre este principio do dojo kun em uma analise mais profunda.


Uma frase simples como essa pode ser muito poderosa se não for apenas da boca para fora.


Muitos dojos ensinam o Dojo Kun mas poucos criam reflexões e debates sobre os temas.

Conter o espirito da agressão, em japonês "Kekki no yu wo imashimuru koto."


É comum falar deste principio no sentido de não utilizar a arte marcial para bater em outra pessoa, tendo a agressão neste caso o sentido de atacar, violentar fisicamente.

Essa é uma explicação muito boa para se dar a uma criança que esteja aprendendo a arte, mas quando fala-se com um jovem ou adulto, uma pessoa capaz de entender conversas mais complexas, temos que debater em outro nível...


A gente tem que perceber que a palavra agressão ela é muito mais poderosa no seu contexto espiritual do que material.

Por isso o dojo kun está escrito contenha o "Espirito da Agressão" e não simplesmente "Contenha a agressão"


O que quero dizer com isso é que o "espirito da agressão" pode ser entendido de forma semelhante a um dos 7 pecados capitais, a IRA.

Assim, a gente pode perceber que os sentimentos de raiva, ira é algo que precisamos aprender a entende-lo.


A gente precisa nos aprofundar mais no Controle Emocional, hoje um tem tão discutido nas áreas da ciência humana.


Eu gosto muito de assistir aos vídeos da Monja Coen!


São vídeos super divertidos, mas tratando assuntos sérios, em um desses vídeos me lembro dela falado sobre o controle da raiva, que estamos falando aqui.

A ira e a raiva, segundo a monja, se manifesta no momento em que algo ocorre fora do planejado na nossa cabeça, segundo nossas culturas e planos.

Quando algo inusitado acontece geralmente duas emoções podem se manifestar, a de alegria, ou o de raiva.


Por exemplo, quando pegamos uma calça no varal e encontramos dinheiro no seu bolso, ficamos alegre, felizes, pois foi uma surpresa agradável.


Já quando tiramos a calça e vemos que ela manchou ou rasgou, a raiva e a ira começa a nos consumir.


E segundo a Monja, devemos prestar atenção no nosso dia a dia quais são as coisas que nos causaram raiva e nos perguntar:


"Porque estou com raiava, qual o beneficio de eu estar com raiva? De que adianta eu estar com raiva?"


Ela fala de um exemplo quando ela derrubou um estojo com várias canetas no chão, e ela com raiva chutou o estojo, e as canetas se espalharam por todos os lados.

E ao invés de ela simplesmente se abaixar e pegar o estojo, ela teve o trabalho de sair procurando e pegando todas as canetas.

Esse ato de procurar entender o que está acontecendo conosco e perceber quando estamos ficando com raiva, pode ser também um Zanshin, a mente alerta, quando a gente está atento também a nossos sentimentos.


Quando controlamos esse Espirito da Agressão, A Raiva, A Ira, a gente passa a ter um poder e um controle maior sobre nós mesmos e sobre nossas atitudes.


Paramos de agir sem controle quando alguém nos xinga no transito, quando perdemos uma competição, quando nosso parceiro fez algo que a gente não gostou...


E com esse controle conseguimos reagir a estas situações de maneira mais inteligentes do que quando agimos pela raiva.


Até mesmo em um Kumitê, quando não nos deixamos ser irritados pelo nosso adversário que está nos provocando.


Principalmente se esse for um Kumitê Real, quando alguém nos provoca, saber controlar a raiva e evitar o combate é a melhor defesa pessoal que pode existir.


Em fim, o nosso princípio "Conter o espirito da agressão", é algo profundo que pode ser utilizado nas mais diversas situações de nossas vidas, seja no casamento, no trabalho ou no Dojo.


A luta contra o espirito agressivo é algo que deve ser praticado pelo karateca em todas as situações de nossas vidas.


“O Karate é um desafio para toda a vida, que é explicado pelo Dojo Kun – caráter, honestidade, esforço, respeito e autocontrole.


Estudar as técnicas lhe dá autoconfiança e esta lhe proporciona autodefesa.


Mas autodefesa é um estado mental, não uma combinação de técnicas. A melhor defesa é evitar conflitos.


Karate não é um estudo sobre as lutas, mas sobre as pessoas.


Kata e kumite são como duas rodas de uma bicicleta.


Kata afia o fio de sua espada… enquanto o kumite é usar a espada“.

Yutaka Yaguchi

104 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo